LOCALIZAR

TRANSLATE

Ulrico Zuínglio

BIOGRAFIA CRISTÃ Nº 70: Ulrico Zuínglio (1484-1531), também conhecido como Ulrich Zwingli ou Huldrych Zwingli, foi um suíço Camponês; Bacharel em Artes; Mestre em Artes; Estudante de Idiomas Clássicos (Grego e Hebraico); Pároco; Sacerdote Católico; Capelão; Professor; Escritor; Líder Comunitário e Patriota; Humanista Bíblico; Musicista e Hinólogo; Teólogo MonergistaReformador e Pastor Protestante.
"Eu [Jesus] Sou a videira, e vocês são os ramos. Quem está unido Comigo e Eu com ele, esse dá muito fruto porque sem Mim vocês não podem fazer nada." (João 15:5, NTLH, SBB).
"Ora, vocês são o Corpo de Cristo, e cada um de vocês, individualmente, é membro desse corpo. Assim, na igreja, Deus estabeleceu primeiramente apóstolos; em segundo lugar, profetas; em terceiro lugar, mestres; depois os que realizam milagres, os que têm dons de curar, os que têm dom de prestar ajuda, os que têm dons de administração e os que falam diversas línguas. São todos apóstolos? São todos profetas? São todos mestres? Têm todos dons de curar? Falam todos em línguas? Todos interpretam? / Entretanto, busquem com dedicação os melhores dons. Passo agora a mostrar-lhes um caminho ainda mais excelente." (1ª Coríntios 12:27-31, NVI, SBI).
"Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três; porém o maior destes é o amor." (1ª Coríntios 13:13, VRA, SBB).

Ulrico Zuínglio
Ulrico Zuínglio.
(1484-1531)
Ulrico Zuínglio nasceu no dia 1º de Janeiro de 1484 (dois meses depois do nascimento de Martinho Lutero) no nordeste da Suíça, descendendo de familiares ricos e intelectuais, consistindo na elite de sua época. O seu pai desempenhava as funções de Magistrado e seu tio era Vigário.

O jovem Ulrico diligentemente percorreu os caminhos dos estudos e não permitiu que as experiências espirituais provocassem o desprezo ao exercício da intelectualidade. Estudou na Escola Latina em Berna, na Universidade de Viena conhecendo o Humanismo, e posteriormente na Universidade da Basiléia iniciando os primeiros contatos com o proeminente Erasmo de Roterdã (1466-1536).  Alcançou o Mestrado em Artes, adquiriu a fluência nos idiomas clássicos (Grego e Hebraico), desenvolveu habilidades de composição e música, ampliou a consciência comunitária e patriótica, além de submeter as convicções humanísticas aos trilhos bíblicos.

Ulrico Zuínglio
Ulrico Zuínglio.
(1484-1531)
Em 1519, as suas pregações dentro da Igreja Romana provocaram reações adversas, considerando as intensas condenações ao sistema de indulgências, ao celibato e ao Asceticismo, pois fora, inicialmente, fortemente influenciado pelos escritos de Lutero que clamavam pelo retorno do Catolicismo ao Evangelho Puro. Zuínglio também denunciava o desvio da intenção original de reverência, respeito e memória aos crentes do passado, santos como todos os cristãos, mas que foram indevidamente elevados pelo Romanismo inaugurando um ritual vicioso de devoção, além daquele devido ao Senhor Cristo, que em alguns casos atravessou as linhas da idolatria. Desta forma, despertou a fúria religiosa que imediatamente o acusou de herege, retirando todos os seus direitos de pregação.

Ulrico Zuínglio
Ulrico Zuínglio.
(1484-1531)
As circunstâncias associadas à Soberania de Deus, instigaram o espírito reformador de Ulrico Zuínglio que agora canalizaria todas as suas energias para a causa da Reforma Protestante. Ministrou que a Bíblia contém o ensino necessário e suficiente para a Salvação, publicando os 67 Artigos de Fé, que diferentemente das 95 Teses de Martinho Lutero, destinaram considerável atenção aos princípios básicos que distinguiriam o Movimento Reformado, martelando e fixando Sola scriptura (Somente a Escritura) e Solus Christus (Somente Cristo), enfatizando que o Senhor Jesus Cristo é o único chefe da Igreja e que a Salvação é operada pela Fé Salvífica. Rejeitou o caráter sacrificial da missa, a salvação meritória (pelas obras), a intercessão dos santos, a obrigatoriedade dos votos monásticos e a existência do purgatório. Também afirmou o caráter simbólico do Pão e Vinho (Eucaristia), divergindo de Lutero que apregoava a literalidade do texto bíblico "este é o Meu corpo".

Ulrico Zuínglio
Ulrico Zuínglio.
(1484-1531)
Enquanto alguns enfrentavam tormentos acerca da salvação da alma, como dilema do indivíduo, Zuínglio refletia sobre a salvação de um povo - o povo de Deus, assim, trilhava o caminho cristão com pensamentos voltados à coletividade. Os exercícios da memória associados com a amplitude de seu intelecto permitiram que decorasse e assimilasse todas as epístolas de Paulo no grego, através da dedicada transcrição dos escritos paulinos, palavra por palavra.

Infelizmente, como a História sempre demonstra, alguns seguidores inspirados pelos ensinos de Ulrico Zuínglio percorreram os caminhos do Radicalismo e do Exclusivismo, com posicionamentos que posteriormente inaugurariam o Movimento Anabatista, totalmente diferente dos Batistas que são "bisnetos" dos Episcopais, "netos" dos Presbiterianos e "filhos" dos Congregacionais, ou seja, nasceram dos Movimentos Separatistas na Inglaterra que lutavam pelo Estado Laico e pela Liberdade Religiosa.

Ulrico Zuínglio
Ulrico Zuínglio.
(1484-1531)
Batalhou pela causa bíblica, promovendo a Reforma Protestante, lutando pelo desvendar da Verdade, guerreando pela liberdade em Cristo. Encontrou a morte no dia 11 de Outubro de 1531, dentre os conflitos civis e militares promovidos pelo Romanismo. Provavelmente, foi esquartejado e lançado às chamas da fogueira, cena que repetir-se-ia durante décadas, enfileirando a lista de mártires da Reforma e da causa Protestante. As suas últimas palavras, segundo a tradição, foram: "Eles podem matar o corpo, mas não a alma".

Reforma Suíça caracterizada pela vasta quantidade de declarações acerca da Verdade que produziram diversas doutrinas com objetivos confessionais, apologéticos e didáticos, estava condenada ao isolacionismo e consequente extinção, pois o seu líder fora exterminado, mas o Senhor da História traçara caminhos acertados para o sucesso da causa Protestante. A semente seria cultivada por João Calvino e os ramos da videira estender-se-iam até os confins da Terra, impulsionados pelas Institutas.


FONTE:

Wikipédia, A Enciclopédia Livre.

Portal Mackenzie: História do Movimento Reformado: Ulrico Zuínglio - O Fundador da Tradição Reformada. http://www.mackenzie.com.br/7063.html.

Portal Mackenzie: As Confissões Reformadas - Os 67 Artigos de Ulrico Zuínglio (1523). http://www.mackenzie.com.br/7043.html.

Monergismo: Ulrico Zuínglio - Sinopse Histórica. http://www.monergismo.com/textos/biografias/zuinglio-sinopse_helio.pdf.

2 comentários:

  1. esse texto foi retirado do livro servos de Deus.

    ResponderExcluir
  2. Graça e Paz! Ainda não li o referido livro, mas é provável que as fontes o tenham utilizado.

    ResponderExcluir