LOCALIZAR

TRANSLATE

João Calvino

BIOGRAFIA CRISTÃ Nº 68: João Calvino (1509-1564), também conhecido como John Calvin ou Jean Cauvin, foi um francês Estudante (de Ensino Clássico, Latim, Lógica, Filosofia, Grego, Pensamento Analítico, Argumentação Persuasiva e Literatura Clássica); Mestre em Ciências Humanas; Doutor em Ciências Jurídicas; Escritor; Professor; Teólogo Monergista; Reformador Protestante; e Pastor.
"Eu [Jesus] Sou a videira, e vocês são os ramos. Quem está unido Comigo e Eu com ele, esse dá muito fruto porque sem Mim vocês não podem fazer nada." (João 15:5, NTLH, SBB).
"Ora, vocês são o Corpo de Cristo, e cada um de vocês, individualmente, é membro desse corpo. Assim, na igreja, Deus estabeleceu primeiramente apóstolos; em segundo lugar, profetas; em terceiro lugar, mestres; depois os que realizam milagres, os que têm dons de curar, os que têm dom de prestar ajuda, os que têm dons de administração e os que falam diversas línguas. São todos apóstolos? São todos profetas? São todos mestres? Têm todos dons de curar? Falam todos em línguas? Todos interpretam? / Entretanto, busquem com dedicação os melhores dons. Passo agora a mostrar-lhes um caminho ainda mais excelente." (1ª Coríntios 12:27-31, NVI, SBI).
"Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três; porém o maior destes é o amor." (1ª Coríntios 13:13, VRA, SBB).

João Calvino
João Calvino.
(1509-1564)
João Calvino nasceu no dia 10 de Julho de 1509 em Noyon, uma comuna histórica francesa distando aproximadamente 96 km de Paris. A terminologia comuna, na Idade Média, é o equivalente de Cidade aplicada aos casos de emancipação pela obtenção de carta de autonomia fornecida pelo Rei, mas na França, a expressão também é referente à subdivisão administrativa mínima de um território.

Nessa época, a Europa estava vivenciando uma efervescência intelectual que buscava as origens - as obras antigas. Martinho Lutero concluíra o seu Bacharelado em Estudos Bíblicos (1508), alcançando o Doutorado em Teologia (1512), com nomeação para Vigário (1515) e posterior afixação das famosas 95 Teses no mês de Outubro de 1517, ou seja, um contexto providencialmente preparado para o crescimento do jovenzinho Calvino.

Os seus pais, Gerard e Jeanne Cauvin, procuraram instruir o menino nos caminhos religiosos. João foi criado para ingressar no sacerdócio da Igreja Católica Romana, motivado pelo pai, um Administrador Financeiro do Bispo Católico da diocese de Noyon.

João Calvino
João Calvino.
(1509-1564)
Durante a meninice, com 11 anos, João Calvino conseguiu uma capelania na catedral de Noyon. Na adolescência, com 14 anos, ingressou na Universidade de Paris para estudar Teologia visando o sacerdócio. O apreço pelos estudos do Ensino Clássico, Latim, Lógica e Filosofia, proporcionou a graduação como Mestre em Ciências Humanas aos 17 anos. Posteriormente, estudou na Universidade de Orléans alcançando a graduação em Ciências Jurídicas. Também estudou na Universidade de Bourges, aperfeiçoando os conhecimentos do Grego, Pensamento Analítico e Argumentação Persuasiva. Na cidade de Paris, com 21 anos, estudou Literatura Clássica, completando, posteriormente os estudos do Direito conquistando o título do Doutorado, publicando também a sua dissertação - um comentário sobre a obra De Clementia, do filósofo romano Sêneca, o Jovem.

Durante os seus estudos na Universidade de Bourges as verdades bíblicas anunciadas pela Reforma Protestante impactaram profundamente o seu coração. O Senhor Deus exerceu o Seu poder soberano atraindo irresistivelmente João Calvino.

João Calvino
João Calvino.
(1509-1564)
"Por meio de uma conversão repentina, Deus subjugou e preparou minha mente para ser ensinada a respeito das coisas espirituais, o que aconteceu de forma mais intensa do que esperaria de uma pessoa da minha idade. Tendo, deste modo, recebido uma amostra e algum entendimento da verdadeira piedade, fui imediatamente estimulado com um desejo tão intenso de fazer progresso neste conhecimento que, embora não tenha abandonado por completo os outros estudos, buscava-os com menos fervor." João Calvino.

Alexandre Ganoczy destaca: "Calvino entendeu a história de sua vida como análoga à do apóstolo Paulo, que, no caminho para Damasco, de repente deixou o pecado de se opor a Cristo para servi-Lo incondicionalmente."

Muitos replicaram as ideias de Martinho Lutero em vários países da Europa, dentre eles, o jovem Calvino que precisou fugir de Paris disfarçado de vinhateiro, com uma enxada no ombro. Curiosamente, ele também seria conhecido como o proprietário da maior adega de Genebra, na Suíça, possuindo familiaridade com as técnicas dos vinhateiros.

William Farel
William Farel
(1489-1565)
Depois do exílio, retornou à França, seguindo para a Alemanha buscando lugares tranquilos - o berço da Reforma Protestante. Jamais retornou ao solo francês. Enquanto viajava, forçosamente alterou a rota para Genebra, motivado por uma gerra entre Charles V, Sacro Imperador Romano e Francis I. Embora, a pretensão inicial de João Calvino fosse pernoitar na cidade, providencialmente, através do encontro com o líder Protestante local, William Farel, Genebra tornar-se-ia um dos lugares mais importantes no globo terrestre para o mover de Deus em Sua restauração através da Reforma Protestante.

Em Genebra, Calvino ensinava os textos bíblicos e pastoreava na Catedral de Saint Pierre, mas durante a Reforma da Igreja em Genebra, o falar dos Protestantes trouxe incômodos à consciência dos cidadãos provocando a expulsão da cidade e exílio de João Calvino para Estrasburgo, aglomeração urbana francesa estendida até a Alemanha.

Na oportunidade, pastoreou centenas de refugiados franceses, ensinando o Novo Testamento, escrevendo o seu primeiro comentário bíblico (Romanos), e publicando a segunda edição das Institutas, um dos trabalhos cristãos mais importantes para o Cristianismo Reformado, conforme diz Gerald R. McDermott: "Lutero publicou mais teologia e comentários do que qualquer outro ser humano na história, mas Calvino produziu a única teologia sistemática da Reforma - As Institutas ou Instituição da Religião Cristã."

Idelette Calvino
Idelette de Bure Stordeus Calvin.
Nessa circunstância, conheceu a sua esposa, uma integrante da congregação pastoreada por ele. Idelette de Bure Stordeur era uma viúva com convicções Anabatistas, mãe de um casal do primeiro casamento. João Calvino, aos 31 anos, constituiu o casamento em 1540.

João experimentou muitos sofrimentos, perseguições religiosas e acadêmicas decorrentes da Reforma Protestante, além daqueles sucedidos no ambiente familiar, pois a sua esposa sofreu um aborto, depois perdeu uma filha durante o nascimento e perdeu um filho duas semanas depois do nascimento. Posteriormente, Idelette "a melhor companheira da minha vida" faleceu de tuberculose em 1549, com apenas 40 anos de idade. No entanto, Calvino declarou: "Ele [Deus] próprio é pai e sabe o que é bom para seus filhos".

O Senhor Deus fez justiça ao jovem Reformador depois de sua expulsão de Genebra, pois o Conselho Municipal solicitou o seu retorno para pastorear os cidadãos. João Calvino retornou às suas funções em Genebra no dia 13 de Setembro de 1541, permanecendo providencialmente durante toda a sua vida nesse lugar, transformando a história da humanidade como o mais genial líder da Reforma Protestante durante a Restauração do Senhor.

O dom pastoral de Calvino era excelente, totalmente aperfeiçoado em seu ministério, inclusive quando retornou depois de anos para Genebra, recomeçou a função pastoral exatamente no ponto do sermão interrompido, prosseguindo no versículo seguinte ao exposto nos anos anteriores.

Maria, a Sanguinária
Maria, a Sanguinária.
(1516-1558)
Muitos crentes perseguidos pela Europa procuravam Genebra. Os Huguenotes, protestantes franceses; os refugiados da Alemanha e da Itália, além dos protestantes da Escócia e da Inglaterra que fugiam das fogueiras dos mártires da perversa rainha Maria, a Sanguinária, conforme registrado no famoso Livro dos Mártires de John Foxe. Deste contato dos ingleses e dos escoceses com as pregações de João Calvino nasceria o fervor e zelo pela santidade típicos dos Puritanos, os primeiros que praticaram a doutrina Calvinista, os verdadeiros Calvinistas Experimentais.

Nessa época da Igreja Brasileira caracterizada pelo inchaço com ausência de crescimento orgânico, infiltrada por muitos ensinos controversos temperados pelo Clientelismo, Materialismo, Consumismo, Sincretismo, Sobrenaturalismo Maligno, etc, cremos sinceramente que os escritos dos Puritanos ajudarão na clareza das verdades bíblicas, remetendo ao clamor da Reforma Protestante, principalmente aos ensinos de João Calvino que foram resgatados dos dias dos Pais da Igreja, especificamente em Agostinho, recuperando as lições dos dias dos Apóstolos que foram inspirados pelo Espírito Santo. Nos nossos dias precisamos da sensibilidade ao mover de Deus para sermos restaurados e reformados conforme os princípios bíblicos, precisamente quanto à Soberania de Deus e à Responsabilidade Humana - o verdadeiro Evangelho da Cruz. Nota do Blog.

O ensino de João Calvino era totalmente teocêntrico apontando sempre ao Deus Triúno, ciente que não podemos compreender a Palavra sem o Espírito, nem saber o que o Espírito diz sem a Palavra que nos mostra Cristo e como encontrá-Lo para salvação.

Assim como Agostinho, reconheceu que a vida cristã é uma luta contra o mundo, a carne e o Diabo, mas sobretudo, contra o pior inimigo, o EU com todas as suas perversidades e bondade enganosa.

Martyn Lloyd-Jones
David Martyn Lloyd-Jones.
(1899-1981)
"Calvino estava tremendamente interessado em que todos os reformados e evangélicos estivessem juntos em unidade. Ele deplorava as divisões e divergências que tinham surgido e estava disposto a fazer o que pudesse - ele dizia que estava pronto a atravessar dez mares, se necessário, para comparecer a uma Conferência que ajudasse a promover esta unidade entre os evangélicos reformados. Não unidade com Roma, é claro, mas unidade do povo evangélico reformado." (...) "aqueles que tendem a seguir o ensino de João Calvino estão menos interessados em publicidade do que aqueles que seguem o ensino arminiano (...) Peço-lhes apenas que mantenham os olhos nos jornais e periódicos religiosos e vejam se não há algo nessa ideia. O ensino de João Calvino primeiramente humilha o homem; glorifica a Deus. Faz o homem sentir-se insignificante, sentir-se pessoa inútil; e por mais privilegiado que seja, ou mais capacitado para realizações, ele sabe que é Deus que o faz. É nisso que ele está interessado.David Martyn Lloyd-Jones.

João Calvino
João Calvino.
(1509-1564)
João Calvino também foi um grande incentivador da educação, inclusive, criou em Genebra um sistema de educação em três níveis, hoje conhecida como Universidade de Genebra, fundada em 1559. A ênfase sobre o ensino alcançou os Estados Unidos, espalhando escolas e universidades em vários lugares do novo mundo através dos Puritanos e Calvinistas. As Américas são devedoras ao empenho dos pioneiros que trouxeram o legado da Reforma Protestante.

O seu legado também colaborou para formação da Democracia Moderna mediante o princípio representativo, pois ele compreendia que a Igreja e o Estado são extensões do governo criativo de Deus, assim a administração da igreja local em Genebra inspirou muitas congregações reformadas e nações.

Outra contribuição importante foi na elaboração da Bíblia de Estudos de Genebra imbuída do espírito da Reforma, a segunda mais popular no idioma inglês, que foi odiada pelos líderes ingleses adeptos do Episcopalismo e das liturgias herdadas da Igreja Romana.

Dentre tantas características e dons de João Calvino, o mais importante foi a função de pastor ensinando:

  1. A importância da pregação, apelando aos ministros que estudassem com afinco e atenção para ter a certeza de que expusessem as verdades bíblicas;
  2. Predestinação, mostrando que esse ensino provoca humildade, consolo, jamais pavor, pertencendo à Doutrina da Salvação, ensinando o olhar retroativo para louvarmos ao Senhor por Sua escolha;
  3. Teologia Bíblica, alertando que todo o ensino precisa estar arraigado na história bíblica, jamais fora do contexto, evitando usar experiências pessoais como fundamento do ensino;
  4. Santificação, pois quando Martinho Lutero bradou os anseios da Reforma Protestante foi enfatizado a Justificação, mas Calvino levou a Restauração do Senhor adiante mostrando a importância da Santificação, cujo desenvolvimento percorre toda a vida humana;
  5. A Soberania de Deus, pois toda a história está no controle do Soberano e nem Satanás consegue movimentar-se escondido dos olhos do Senhor. Deus não deseja o pecado nem o mal, mas supervisiona o processo histórico, mesmo aqueles mais insignificantes em nossas vidas. Assim, todas as coisas cooperam para o nosso bem e para a Sua glória.


Charles Spurgeon
Charles Haddon Spurgeon.
(1834-1892)
"Queremos outros Luteros, Calvinos, Bunyans, Whitefields, homens preparados para marcar eras, cujos nomes inspiram terror aos ouvidos de nossos inimigos. Necessitamos deles desesperadamente. De onde eles virão para nós? Eles são presentes de Jesus Cristo para a igreja, e virão em tempo oportuno. Jesus tem poder de nos trazer de volta a era de ouro dos pregadores, e quando a boa e antiga verdade for mais uma vez pregada por homens cujos lábios foram tocados como por uma brasa viva tirada do altar, isto será o instrumento na mão do Espírito para realizar um grande avivamento (...).Eu não busco outro meio de converter os homens além da simples pregação do evangelho e do abrir de seus ouvidos para que o ouçam. No momento em que a igreja de Deus desprezar o púlpito, Deus desprezará a igreja. É por meio deste ministério que o Senhor se agrada em despertar e abençoar sua Igreja." Charles Haddon Spurgeon.

Steven J. Lawson
Steven J. Lawson.
"Não existem remédios novos para problemas velhos. Devemos retornar aos caminhos antigos. Devemos, uma vez mais, recuperar a centralidade e a capacidade de penetração bíblica. É preciso um retorno decisivo à pregação direcionada pela Palavra, que exalta a Deus, que é centrada em Cristo e fortalecida pelo Espírito. Precisamos desesperadamente de uma nova geração de expositores, homens da mesma estirpe de Calvino." (...) "Queremos mais Calvinos. Precisamos ter outros Calvinos. E, pela graça de Deus, os veremos surgir novamente nesta época. Que o cabeça da igreja nos dê mais uma vez um exército de expositores da Bíblia, homens de Deus dispostos à uma nova reforma. Soli Deo Gloria." Steven J. Lawson.

João Calvino
João Calvino.
(1509-1564)
"Em nome de Deus, eu, João Calvino, servo da Palavra de Deus na igreja de Genebra... Agradeço a Deus não só por Ele ter sido misericordioso comigo, pobre criatura sua, e... por ter me tolerado em todos os pecados e fraquezas, mas principalmente por ter feito de mim um participante de Sua graça a fim de servi-Lo por meio de meu trabalho... Confesso ter vivido e confesso que morrerei na fé que Ele me deu, porquanto não possuo outra esperança ou refúgio além de Sua predestinação sobre a qual toda a minha salvação está baseada. Recebo a graça que Ele me ofereceu em nosso Senhor Jesus Cristo e aceito os méritos de Seu sofrimento e morte, por meio dos quais todos os meus pecados estão enterrados. Humildemente suplico que Ele me lave e limpe com o sangue de nosso grande Redentor... a fim de que ao aparecer diante Dele seja semelhante a Ele. Além do mais, que me esforcei para ensinar Sua Palavra de maneira imaculada, e para expor fielmente as Sagradas Escrituras, de acordo com a medida da graça que Ele me deu." João Calvino, 25 de Abril de 1564.

No dia 27 de Maio de 1564, o inútil e pequeno servo, grande pecador e simples adorador, faleceu, deixando um legado que somente os gigantes poderiam deixar, porque embora inútil, pequeno e simples foi direcionado pelo Soberano, Grande e Poderoso Deus. Transcorridos 450 anos do seu falecimento, nós da Igreja Brasileira, precisamos novamente de cristãos como Calvino que proclamem com voz potente a Soberania de Deus expulsando o Sincretismo e a Graça Barata dos círculos evangélicos do Brasil.


FONTE:

Livro: A Arte Expositiva de João Calvino.
Série: Um Perfil de Homens Piedosos.
Autor: Steven J. Lawson.
Editora: Fiel. (Brasil).
Páginas: 142.

Livro: O Legado da Alegria Soberana - A graça triunfante de Deus na vida de Agostinho, Lutero e Calvino.
Autor: John Piper.
Editora: Shedd Publicações. (Brasil).
Páginas: 160.

Livro: Grandes Teólogos - Uma Síntese do Pensamento Teológico em 21 Séculos de Igreja.
Autor: Gerald R. McDermott.
Editora: Vida Nova. (Brasil).
Páginas: 232.

Livro: O Cristianismo Através dos Séculos - Uma História da Igreja Cristã.
Autor: Earle E. Cairns.
Editora: Vida Nova. (Brasil).
Páginas: 508.

Livro: Os Puritanos - Suas Origens e Seus Sucessores.
Autor: David Martyn Lloyd-Jones.
Editora: Publicações Evangélicas Selecionadas - PES. (Brasil).
Páginas: 432.

Livro: A Bíblia e Sua História - O Surgimento e o Impacto da Bíblia.
Autor: Stephen M. Miller e Robert V. Huber.
Editora: Sociedade Bíblica do Brasil - SBB. (Brasil).
Páginas: 256.

Um comentário:

  1. Glória ao Deus altíssimo!!!
    Glória Jesus Cristo nosso senhor!!!
    Glória ao santo espírito!!!
    Seu blog tem abençoado minha vida obrigado !

    ResponderExcluir