LOCALIZAR

Carregando...

TRANSLATE

John Stott

BIOGRAFIA CRISTÃ Nº 55: John Robert Walmsley Stott (1921-2011), também conhecido como John Stott, ou simplesmente, Tio John, foi um britânico Calvinista; Professor; Reitor Emérito; Linguista; Escritor; Conferencista; Filantropo; Doutor Honoris Causa; Most Excellent Order of the British Empire (Mui Excelente Ordem do Império Britânico); Teólogo; Sacerdote Anglicano; Líder Evangélico; Co-Autor do Pacto de Lausanne; Clérigo da All Souls Church; Fundador da The London Institute for Contemporary Christianity (Ministério John Stott); Presidente do Conselho Evangélico da Igreja da Inglaterra; Presidente da União Escriturística Britânica; Presidente da Aliança Evangélica Britânica; Fundador da Associação Evangélica na Comunhão Anglicana (EFAC); Líder da Sociedade dos Teólogos Evangélicos da Europa; Presidente da University Christian Fellowship; Vice-Presidente da Sociedade Internacional de Estudantes Evangélicos; Capelão Honorário da Rainha da Inglaterra; Capelão Extraordinário da Coroa Britânica; e foi considerado pela Revista Time como uma das 100 personalidades mais influentes do Século XX.
"Eu [Jesus] Sou a videira, e vocês são os ramos. Quem está unido Comigo e Eu com ele, esse dá muito fruto porque sem Mim vocês não podem fazer nada." (João 15:5, NTLH, SBB).
"Ora, vocês são o Corpo de Cristo, e cada um de vocês, individualmente, é membro desse corpo. Assim, na igreja, Deus estabeleceu primeiramente apóstolos; em segundo lugar, profetas; em terceiro lugar, mestres; depois os que realizam milagres, os que têm dons de curar, os que têm dom de prestar ajuda, os que têm dons de administração e os que falam diversas línguas. São todos apóstolos? São todos profetas? São todos mestres? Têm todos dons de curar? Falam todos em línguas? Todos interpretam? / Entretanto, busquem com dedicação os melhores dons. Passo agora a mostrar-lhes um caminho ainda mais excelente." (1ª Coríntios 12:27-31, NVI, SBI).
"Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três; porém o maior destes é o amor." (1ª Coríntios 13:13, VRA, SBB).
John Stott
John Robert Walmsley Stott.
(1921-2011)
John Robert Walmsley Stott nasceu no dia 27 de Abril de 1921, em Londres, na Inglaterra.

Estudou na Rugby School, e posteriormente, no Trinity College (Faculdade Trinity) em Cambridge, alcançando a formação em Línguas Modernas, sendo reconhecido como um estudante sênior. Também graduou-se em Teologia, mas durante a sua juventude, seguiu o Agnosticismo até que foi impactado com um sermão do Reverendo Eric Nash, o que principiou a sua introdução no Cristianismo Protestante.

John Stott
John Robert Walmsley Stott.
(1921-2011)
"Como um típico adolescente, eu estava ciente de duas coisas sobre mim, embora, sem dúvida, eu não poderia ter articulado-os nestes termos, então: Em primeiro lugar, se houvesse um Deus, eu estava distante dEle. Tentei encontrá-Lo, mas Ele parecia estar envolto em uma névoa e eu não conseguia penetrar. Em segundo lugar, eu estava derrotado. Eu sabia o tipo de pessoa que eu era, e também o tipo de pessoa que eu desejava ser. Entre o ideal e a realidade, existia um grande abismo. Eu tinha ideais elevados, mas uma vontade fraca..." John Stott.

No dia 13 de Fevereiro de 1938, Eric Nash (1898-1982), mais conhecido como "Bash", ministrou uma palestra para a União Cristã na Escola de Rugby, falando sobre o texto da pergunta de Pilatos: "Que farei então com Jesus, que é chamado o Cristo?".

"Eu precisava fazer alguma coisa com Jesus, tal ideia foi inteiramente nova para mim, pois imaginava que de alguma forma Ele tinha feito tudo que era necessário fazer, e que a minha parte foi apenas consentir. O Sr. Nash ficou em silêncio, mas insistiu poderosamente que todos nós precisávamos decidir o que faríamos com Jesus, e que ninguém poderia permanecer neutro. Ou nós copiávamos Pilatos e francamente rejeitaríamos Cristo, ou nós O aceitaríamos pessoalmente para segui-Lo." John Stott.
"... naquela noite em minha cama, eu recebi a experiência de fé, e abriu a porta para Cristo. Eu não vi nenhum relâmpago... na verdade, não tive experiência emocional no processo. Eu apenas deitei na cama e fui dormir. Durante semanas e meses, eu não sabia o que tinha acontecido comigo. Mas aos poucos eu cresci... em um entendimento mais claro e uma garantia mais firme da salvação e senhorio de Jesus Cristo." John Stott.

John Stott
John Robert Walmsley Stott.
(1921-2011)
Depois da sua ordenação em 1945, Stott assumiu a assistência de vigário de Finados, e foi nomeado reitor em 1950, recebendo o posicionamento de reitor emérito em 1975, ocupando o cargo até o fim de sua vida.

John Stott impactou os seus contemporâneos, incentivando os crentes para frequentarem cursos de formação no evangelismo. Os novos cristãos foram iniciados no discipulado. As reuniões de oração foram promovidas e temáticas adotadas, como orações para enfermos e orações para encorajamento de parentes dos mortos. Constantemente declarava: "o pastor precisa conhecer a congregação", desta forma, viveu alguns dias como sem-teto e morador de rua apenas para experimentar como são esses sofrimentos e assim sensibilizar-se com a situação de alguns fiéis.

A sua postura no pastorado trouxe bons resultados e a igreja local sob a sua responsabilidade colheu bons frutos. John sempre recusou as oportunidades para o avanço na hierarquia da sua denominação, resolvendo permanecer na sua localidade e servir largamente, além de sua denominação, objetivando o Corpo de Cristo. Procurava corrigir o perfil e elevar a moralidade dos jovens clérigos evangélicos através dos Congressos Anglicanos-Evangélicos Nacionais.

John Stott
John Robert Walmsley Stott.
(1921-2011)
John Robert Stott testemunhou Cristo em três áreas distintas, mas importantes, a saber: na Coroa Britânica; nas universidades; e na Igreja. Presidiu o Conselho Evangélico da Igreja da Inglaterra (1967-1984); a União Escriturística Britânica (1964-1974); e a Aliança Evangélica Britânica (1973-1974). Serviu como presidente de University Christian Fellowship (1961-1982); e foi Vice-Presidente da Sociedade Internacional de Estudantes Evangélicos. Também foi Capelão Honorário da Rainha da Inglaterra (1959-1991) e Capelão Extraordinário da Coroa Britânica (1991).

Constantemente manifestava descontentamento com o anti-intelectualismo de alguns cristãos, mas também combatia o espírito teórico de outros, ressaltando a necessidade de aplicar a Palavra no contexto atual. Tais pensamentos o conduziram para a fundação, em 1982, da The London Institute for Contemporary Christianity.

"A palavra-chave no meu pensamento é INTEGRAÇÃO e para mim os cristão evangélicos, sem generalizar, não foram integrados. Existe a tendência entre nós de retirarmos do senhorio de Cristo algumas áreas da nossa vida, talvez as questões empresariais, as convicções políticas, ou simplesmente, o nosso trabalho. Essa integração é fundamental para a visão do Instituto (The London Institute for Contemporary Christianity)..." John Stott.

A defesa da pregação integral do evangelho, focava além da esfera espiritual visando o Reino de Deus, mas também dimensionava a ética e os valores mediante atos que transformariam a sociedade e confirmariam o testemunho cristão.

John Stott
John Robert Walmsley Stott.
(1921-2011)
Stott instituiu diversos programas para combater o anti-intelectualismo, Evangelical Literature Program e Langham Scholarship Program para distribuição de livros teológicos e fornecimento de bolsas de estudos para pastores e seminaristas. Também viajou para vários países para ministrar conferências e palestras aos estudantes de teologia, líderes e pastores. A sua integridade e testemunho proporcionaram reconhecimento mundial como teólogo, evangelista e pastor, embora, recusasse quaisquer projeções de estima hierárquicas, principalmente, em sua denominação.

"A Igreja está crescendo em todos os lugares (...) mas muitas vezes é um crescimento sem profundidade e manifestamos preocupação com essa carência, esta superficialidade, lembrando que Deus deseja que o Seu povo cresça para a maturidade. (...) como podemos ajudar para elevar os padrões das pregações bíblicas? Os nossos programas são dedicados para o mesmo objetivo, ou seja, elevar os padrões de pregação através dos livros, por meio de bolsas de estudos e através de seminários." John Stott.

Além das contribuições oferecidas através das instituições fundadas, também ajudou a comunidade cristã através das centenas de artigos e dos livros que publicou, aproximadamente 50 títulos, inclusive, alguns foram traduzidos para mais de 60 idiomas. Os seus escritos manifestam clareza, equilíbrio, intelectualidade e coerência bíblica.

John Stott
John Robert Walmsley Stott.
(1921-2011)
John Robert Walmsley Stott foi premiado com Doutorado em Divindade em Lambeth em 1983, bem como recebeu vários Honoris Causa de universidades nos Estados Unidos, Grã-Bretanha e Canadá.

Stott foi listado pela Revista Time, no mês de Abril de 2005, entre as "100 Pessoas Mais Influentes". John também, foi nomeado no dia 31 de Dezembro de 2005, New Years lista de honra da rainha como Comandante da Ordem do Império Britânico (CBE).

John Stott desempenhou funções importantíssimas na elaboração de documentos evangélicos, atuando em 1974, como presidente da comissão de elaboração do Pacto de Lausanne no Congresso Internacional sobre Evangelização Mundial, realizado na Suíça. O pacto delineou a teologia evangélica e reforçou a necessidade de ações na esfera social, configurando um marco no Evangelicalismo do Século XX. Stott presidiu o Grupo de Teologia e Educação de Lausanne (1974-1981), bem como assumiu a presidência da comissão do Manifesto de Manila com produção pelo Segundo Congresso Internacional em 1989.

John laborou para a renovação do evangelismo na Igreja Anglicana em todo o mundo. Fundou a Associação Evangélica na Comunhão Anglicana (EFAC) e fortaleceu os laços entre os teólogos evangélicos na Europa, incentivando a fundação da Sociedade dos Teólogos Evangélicos da Europa em 1977.

John Stott
John Robert Walmsley Stott.
(1921-2011)
Amava a natureza, pois via nela as mãos de Deus. Advertia os cristãos para cuidarem da criação de Deus. Desde a mocidade, o seu entretenimento era a fotografia e os pássaros. Sempre levava os seus binóculos e câmeras em suas viagens. Das 9.000 espécies de pássaros em todo o mundo, visualizou 2.700 espécies, inclusive, publicou um livro intitulado "Os Pássaros, nossos Professores" ilustrado com as suas próprias fotografias.

John Stott viveu solteiro, embora, em duas ocasiões quase assumiu o matrimônio. Na velhice, reconheceu que seria incapaz de conciliar todas as suas atividades no ministério, na escrita e nas viagens, com a responsabilidade do casamento.

Durante a madrugada de quarta-feira, dia 27 de Julho de 2011, na residência da Comunidade para Aposentados do Clero Anglicano, no sudoeste da Inglaterra, faleceu aos 90 anos, depois de complicações em sua saúde. Partiu em paz, enquanto os seus amigos liam as suas bíblias ao som do Messias de Georg Friedrich Händel (1685-1759).


John Stott
John Robert Walmsley Stott.
(1921-2011)
SUAS PALAVRAS:

"Não nos envergonhamos de Jesus Cristo, que é o centro e o cerne do Cristianismo."
"O propósito de Deus não é salvar indivíduos e perpetuar seu isolamento. Deus se propôs a edificar a Igreja, uma comunidade nova e redimida. A Igreja está no centro do plano de salvação. Cristo morreu não só para nos redimir de toda iniquidade, mas também para reunir e purificar para Si mesmo um povo entusiasmado pelas boas obras."
"A vida não aconteceu por acaso. Para muitos, o curso da História é semelhante a pegadas de uma mosca bêbada numa folha de papel em branco. Mas não é assim. A vida não é aleatória, sem sentido, ou absurda. Deus tem planos para nós hoje."
"Hoje em dia muitos dos nossos cristãos evangélicos não hesitam em ceder à tendência patológica que temos de fragmentar-nos. Para tanto, nos refugiamos em nossas convicções sobre a unidade invisível da Igreja, como se a sua manifestação visível não importasse. E o resultado disso é que o Diabo acaba tendo maior sucesso na sua velha estratégia de 'dividir e conquistar'. A nossa desunião continua sendo um grande empecilho para o nosso evangelismo."
"Deus nos constituiu como seres humanos que pensam. Ele nos tratou como tais, comunicando-se conosco com palavras. Ele nos renovou em Cristo e nos deu a mente de Cristo. E nos considerará responsáveis pelo conhecimento que temos."
"Pergunto-me se valorizamos suficientemente a dádiva de Deus que é a amizade. Deus faz uso da necessidade humana da amizade para consolar-nos."
"Deus revelou Seu amor e Sua justiça através da cruz. E ninguém é mais digno de confiança do que o Deus da cruz."
"O fundamental em todo discipulado é a decisão de não somente tratar Jesus com títulos honrosos, mas seguir Seu ensino e obedecer aos Seus mandamentos."
"A perspectiva do discípulo radical é ver a morte não como término da vida, mas como a entrada para ela."
"Antes que possamos começar a ver a cruz como algo feito para nós (nos conduzindo à fé e à adoração) temos que vê-la como algo feito por nós (nos conduzindo ao arrependimento)."
John Stott
John Robert Walmsley Stott.
(1921-2011)
"Num contexto pagão são sempre os seres humanos que procuram desviar a ira divina mediante a realização meticulosa de rituais, ou através da recitação de fórmulas mágicas, ou por meio de oferecimento de sacrifícios (vegetais, animais ou humanos). Pensam que tais práticas podem aplacar a divindade ofendida. Mas o evangelho começa com a afirmação ousada de que nada do que possamos fazer, dizer, oferecer ou até mesmo dar pode compensar os nossos pecados nem afastar a ira divina. Não há possibilidade alguma de bajularmos, subornarmos ou persuadirmos Deus a nos perdoar, pois nada merecemos das Suas mãos a não ser o julgamento. (...). Foi o próprio Deus que em Sua misericórdia e graça, tomou a iniciativa."
"Deus não nos ama porque Cristo morreu por nós; Cristo morreu por nós porque Deus nos amou. É a ira de Deus que precisava ser propiciada, é o amor de Deus que fez a propiciação. Se pudermos dizer que propiciação 'mudou Deus' ou que por meio dela Ele mudou a Si mesmo, esclarecemos que a Sua mudança não foi da ira para o amor, da inimizade para a graça, visto que o Seu caráter é imutável. O que a propiciação mudou foi os Seus tratos para conosco."
"No pensamento paulino, o homem é alienado de Deus pelo pecado e Deus é alienado do homem pela ira. É na morte substitutiva de Cristo que o pecado é vencido e a ira desviada, de modo que Deus possa olhar para o homem sem desprazer, e o homem olhar para Deus sem medo. O pecado é expiado, e Deus propiciado."


John Stott
Esquerda: John Stott.
Direita: Billy Graham.
DECLARAÇÕES:

"O mundo evangélico perdeu um de seus maiores porta-vozes. Eu perdi um de meus amigos pessoais e assessores. Estou ansioso para vê-lo novamente quando eu for para o céu." Billy Graham, evangelista.

"John Stott foi o mais modesto dos homens. Se soubesse antecipadamente do tema desta minha mensagem, certamente teria dito: 'Concentre-se em Cristo, não em mim'." J. I. Packer, teólogo anglicano.

"Dizer que devemos agradecer a Deus por ele é colocar em termo muito suave. Todos nós somos enormemente beneficiados. Que possamos ser dignos desse legado." N. T. Wright, teólogo anglicano.

Russell Shedd
Russell Shedd.
"Deus me deu várias oportunidades para ouvir e conversar com John Stott. Sempre humilde (tomou lanche em nossa cozinha em São Paulo, Brasil), sempre cordial, sempre pronto para expor um texto da Palavra de Deus. Ouvi-o pela primeira vez em Urbana, Illinois, Estados Unidos, expondo 2ª Coríntios 2:14 e 6:11, perante onze mil jovens num congresso missionário, em 1964." Russell Shedd, teólogo batista.

"Stott celebrou a santidade e uma vida simples, olhando para um universo completo e cheio da graça de Deus." Mauro Maister, pastor presbiteriano.

"Sou parte da geração de líderes evangélicos latino-americanos que foi estimulada pelos textos de John Stott a pensar a fé de maneira integral e a compreender que o evangelho tinha dimensões extra-eclesiásticas." Harold Segura, teólogo colombiano.

"Não é possível escrever a história da igreja no século 20 sem fazer referência a John Stott. Seu ministério abrangeu toda a segunda metade do século e, até mesmo com mais de 80 anos de idade, ele causou um impacto no século 21." Chris Wright, amigo e diretor internacional da Langham Partnership International.

"Estou certo de que contarei à próxima geração... que um gigante andou na Terra em nossa época, e seu nome é John Robert Walmsley Stott." Canon Benjamin Twinamaani, reverendo em Uganda, África Oriental.

"Stott ensinou que o papel da teologia é particular dos grandes debates, crescer à proporção das respostas que deve à sociedade e se entender como serviço ao mundo." Antonio Carlos Ribeiro, jornalista, teólogo e pastor luterano.

John Piper
John Piper.
"John Stott transformou as palavras das frases bíblicas em janelas para a realidade da glória, ao explicá-las em sentenças claras, de forma persuasiva, completa, coerente, renovadora, livre de bobagens ou piadinhas espirituosas." John Piper, teólogo e pregador batista-calvinista.

"Stott ficou célebre e respeitado no mundo porque soube equilibrar a academia com a simplicidade, a erudição teológica com a fé evangélica, preservou o saber da mente com o calor do coração. Ele continuará vivo através do legado dos seus escritos." Durvalina Bezerra, diretora do Instituto Bíblico Betel Brasileiro.

"Stott mudou o cristianismo na Inglaterra mais do que reconhecemos." Matthew Cresswell, jornal The Guardian.

"Stott foi um humilde estudioso cujos cinquenta livros aconselham os cristãos a imitar a vida de Jesus - principalmente a sua preocupação com os pobres e os oprimidos - e a se opor às mazelas sociais como a opressão racial e a poluição ambiental." Nicholas D. Kristof, The New York Times / O Estado de São Paulo.

"John Stott era considerado uma das grandes lideranças mundiais evangélicas, que influenciou pastores, teólogos e líderes cristãos em todo o mundo, especialmente na América Latina." Jornal O Globo.


Nenhum comentário:

Postar um comentário