LOCALIZAR

TRANSLATE

Nehemiah Coxe

BIOGRAFIA CRISTÃ Nº 33: Nehemiah Coxe (? - 1688) foi um europeu Médico; Teólogo Batista-Reformado; e Pastor Separatista no Reino Unido.
"Eu [Jesus] Sou a videira, e vocês são os ramos. Quem está unido Comigo e Eu com ele, esse dá muito fruto porque sem Mim vocês não podem fazer nada." (João 15:5, NTLH, SBB).
"Ora, vocês são o Corpo de Cristo, e cada um de vocês, individualmente, é membro desse corpo. Assim, na igreja, Deus estabeleceu primeiramente apóstolos; em segundo lugar, profetas; em terceiro lugar, mestres; depois os que realizam milagres, os que têm dons de curar, os que têm dom de prestar ajuda, os que têm dons de administração e os que falam diversas línguas. São todos apóstolos? São todos profetas? São todos mestres? Têm todos dons de curar? Falam todos em línguas? Todos interpretam? / Entretanto, busquem com dedicação os melhores dons. Passo agora a mostrar-lhes um caminho ainda mais excelente." (1ª Coríntios 12:27-31, NVI, SBI).
"Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três; porém o maior destes é o amor." (1ª Coríntios 13:13, VRA, SBB).

Nehemiah Coxe
Nehemiah Coxe.
(? - 1688)
Nehemiah Coxe nasceu na Europa, provavelmente em algum Condado localizado entre o Reino Unido e a França.

Seus pais eram Protestantes-Anglicanos e ofereceram ao menino Nehemiah esmerada educação cristã. Acreditamos que os seus pais escolheram o seu nome conforme os textos bíblicos, principalmente, inspirados nos textos do Livro de Neemias [Nehemiah] na Bíblia.

Seu pai, Benjamin Coxe, foi educado na University of Oxford e na University of Cambridge.  Posteriormente, estudou teologia e recebeu a ordenação episcopal da Igreja Estatal Anglicana [Igreja Episcopal]. Durante muitos anos foi seguidor do Arminianismo, todavia, reviu alguns posicionamentos teológicos, aproximando das interpretações bíblicas proferidas pelos Batistas-Reformados.

Nehemiah Coxe
Protestantes orando.
Depois que muitos crentes Batistas aceitaram o Arminianismo, passaram a ser chamados de Batistas-Gerais ou Batistas-Comuns considerando a sua crença em uma expiação geral para todos os homens, sem exceção. Entretanto, muitos Batistas rejeitaram o Arminianismo e afirmaram que a salvação cristã é um dom de Deus conformado à sua escolha e soberania [Graça ou Misericórdia]. Esses crentes foram chamados de Batistas-Especiais, porque acreditavam que a obra e a morte de Jesus Cristo é limitada para aqueles que Deus escolheu antes da fundação do mundo [Efésios 1:4, NVI - "Porque Deus nos escolheu Nele antes da criação do mundo, para sermos santos e irrepreensíveis em Sua presença."], os Batistas-Especiais também são chamados de Batistas-Particulares, Batistas-Calvinistas ou Batistas-Reformados.

Richard Baxter
Richard Baxter.
(1615-1691)
Em 1643, Benjamin pastoreou um grupo de Batistas-Reformados na cidade de Coventry, no Reino Unido. Nessa cidade foram travados calorosos debates teológicos sobre o Batismo com o proeminente inglês Richard Baxter, famoso líder Puritano que representava o Calvinismo. Os ensinamentos de Richard Baxter originaram o "Baxterianismo" traduzido como "Calvinismo Moderado" que apregoa: "Deus de fato escolhe um pequeno grupo de pessoas para a Vida Eterna, mas não despreza nem rejeita o indivíduo que vem até Jesus Cristo".

Benjamin Coxe foi muito importante no campo teológico e exerceu grande influência sobre os Batistas, inclusive, participou da Primeira Confissão de Fé Batista de Londres de 1644.

Nehemiah Coxe recebeu elevada influência teológica do seu pai, um dos notáveis teólogos Batistas do século XVII. No ano de 1669 congregou com os cristãos Batistas sob pastoreio do famoso John Bunyan, aprendendo preciosos ensinamentos aos seus pés, contudo, Nehemiah desenvolveria pensamentos teológicos divergentes do seu pastor John Bunyan.

Em 1673, Nehemiah Coxe, seguindo a herança espiritual de seu pai, foi ordenado pastor na cidade de Hitchin, no Condado de Hertfordshire, na Inglaterra.

Nehemiah Coxe foi muito respeitado pelos seus contemporâneos, alcançando qualificação como médico, habilidade nos idiomas antigos [latim, grego e hebraico] e projeção no campo teológico. Suas capacidades intelectuais proporcionaram projeção entre os Batistas, servindo como editor na Segunda Confissão de Fé Batista de Londres.

Durante a época em que os Batistas absorveram o Arminianismo, Nehemiah Coxe foi levantado por Deus para trazer equilíbrio teológico e alinhamento com a doutrina Reformada.

Em 1681, Nehemiah Coxe proferiu um sermão durante a ordenação de presbítero e diáconos na congregação de Londres, Inglaterra. O sermão é uma discussão sobre o trabalho pastoral em uma congregação Batista, nivelando os anciãos com os ministros. Ele afirmava que os ministros ordinários são pastores-anciãos chamados por Deus e introduzidos no ministério.

... nas igrejas primitivas existiam as funções de Bispo [palavra derivante do latim equivalente às expressões: Presbítero proveniente do grego e Ancião do hebraico] e diáconos ordenados... Nehemiah Coxe afirmava que o tamanho de uma comunidade local [igreja local] determinaria a necessidade de pluralidade de líderes pastorais na congregação. Bispos [ou Presbíteros, ou Ancião] são oficiais comuns da igreja local para instrução e governo de Deus na localidade. Coxe ressalta a importância do pastor singular que será o mais experiente na jornada cristã, e preferencialmente com mais idade biológica, o que caracteriza maior vivência humana.
Reunião de Protestantes.
A Igreja em Jerusalém, terminologia localista, congregava aproximadamente de 5.000 até 10.000 cristãos, provocando grandes demandas materiais, afetivas e espirituais, ou seja, precisava de uma liderança pluralista e compartilhada que fora citada pelo apóstolo Paulo, a saber, os irmãos responsáveis [Pedro, Tiago e João] que eram colunas na localidade de Jerusalém.

Pedro era um Apóstolo [ = Enviado] para as outras cidades, mas era um Presbítero na cidade em que congregava. 1ª Pedro 5:1-3, VRA "Rogo, pois, aos Presbíteros [ = Bispos ou Anciãos] que há entre vós [igreja local], eu [Pedro], Presbítero [ = Bispo ou Anciãocomo eles, e testemunha dos sofrimentos de Cristo, e ainda co-participante da glória que há de ser revelada: pastoreai o rebanho de Deus que há entre vós [igreja local], não por constrangimento, mas espontaneamente, como Deus quer; nem por sórdida ganância, mas de boa vontade; nem como dominadores dos que vos foram confiados [igreja local], antes, tornando-vos modelos do rebanho.Nota do Blog.

Nehemiah Coxe entendia que a obra expiatória de Cristo foi realizada em nome dos Seus eleitos, e os únicos que manifestam interesse na Sua Aliança, na Sua economia, na limpeza e expiação, são aquelas ovelhas por quem Ele derramou o Seu sangue. Essas ovelhas, Ele nunca abandonará ou permitirá que vagueiem para a condenação eterna.

Coxe considerava que Deus em Sua onisciência da eternidade passada até a futura, previu a queda do homem. Na eternidade passada, o Deus Triúno manifestou o Seu propósito eterno e gracioso em Si mesmo, conforme o conselho de Sua vontade. Deus decidiu redimir e salvar através de Sua graça todo-inclusiva em Cristo um remanescente de homens e mulheres perdidos em seu estado e decaídos.

Nehemiah Coxe entendia que o conselho eterno sucedeu através de um pacto do Deus Triúno, entre o Pai e o Filho.

A este pacto pertencem todas as promessas do Pai ao Mediador, e os compromissos estipulados do Redentor acerca da salvação de pecadores e o caminho e o método de sua realização. Com respeito a estes conselhos, o Filho de Deus é tido como o prazer do Pai, e Ele próprio também tem o Seu prazer no mundo habitável quando a parte maior de suas cinzas foram formadas. Neste contexto, a aquiescência tanto do Pai quanto do Filho não é bem definida. Nehemiah Coxe.

Nehemiah declara que o homem não realizou quaisquer pactos com Deus, contudo o Deus Triúno fez aliança com o homem. Tal aliança é consequência do Seu senhorio e soberania manifestadas na infinita bondade ao apresentar através de Sua sabedoria os termos de uma relação pactual entre Ele mesmo e Suas criaturas.

Coxe afirma: "não é com base em quaisquer necessidades da natureza que Deus faz um pacto com os homens, mas é por causa, e unicamente, do Seu bom prazer".

Nehemiah Coxe foi um dos maiores teólogos do movimento Batista durante o século XVII. Sua vida e seus escritos são encharcados com a teologia Calvinista, com as influências das epístolas de Paulo e dos escritos dos Pais da Igreja, principalmente, de Agostinho.

Coxe declara que Cristo sempre foi e sempre será, para os santos e eleitos do Antigo Testamento e para os crentes e eleitos do Novo Testamento:

O Cabeça e Raiz da Nova Aliança, e a Fonte da qual todas as Suas bençãos são dirigidas a nós. Uma vez que as bençãos foram inteiramente compradas por Ele [Jesus Cristo], então elas são aplicadas inteiramente a todos que estão Nele [Jesus Cristo] e em nenhum outro.

Teologia Batista
Teologia Batista.
Nehemiah Coxe, assim como seu pai - Benjamin Coxe - deixou um precioso legado espiritual e teológico. Juntamente com os seus contemporâneos John Bunyan, Hanserd Knollys, William Kiffin, John Gill e Benjamin Keach marcaram a história dos Batistas. As suas especialidades não eram o marketing, mas o desenvolvimento do raciocínio teológico fundamentado na Bíblia.

O teólogo Batista-Calvinista, Nehemiah Coxe, encerrou a sua carreira cristã em 1688, antes da Assembleia Geral de 1689 que utilizou sua edição da Confissão de Fé para formalizar a Confissão de Fé Batista de 1689.

Os famosos teólogos Batistas do século XVII, lançaram as preciosas sementes do evangelho estruturando e alinhando as confissões de Fé Batista, contribuindo e pavimentando o caminho para o progresso da fé evangélica.

Atualmente, existem no mundo 42 milhões de Batistas filiados à Aliança Batista Mundial, 16 milhões de Batistas na Convenção Batista do Sul dos Estados Unidos [Southern Baptist Convention-SBC], 28 milhões de Batistas Independentes e 49 milhões de Batistas Pentecostais, perfazendo 135 milhões de Batistas espalhados pelo mundo. Esses números não incluem crianças e visitantes assíduos, apenas pessoas batizadas e arroladas como membros.

No Brasil, segundo Censo 2010, foram contabilizados 3.723.853 (três milhões, setecentos e vinte e três mil, oitocentos e cinquenta e três) pessoas que professam Fé Batista, incluindo homens e mulheres, mas excluindo crianças e visitantes assíduos não arrolados como membros.

Os servos de Deus do passado contribuíram para o desenvolvimento e aumento de fiéis. Tais números não louvam os homens, mas glorificam o nome de Jesus Cristo, pois são milhões de pessoas ouvindo o evangelho salvífico e as mensagens Cristocêntricas, portanto, são pessoas que no dia do Trono de Cristo não alegaram ignorância da Palavra de Deus.


FONTE:







Nenhum comentário:

Postar um comentário