LOCALIZAR

TRANSLATE

César Dacorso Filho

BIOGRAFIA CRISTÃ Nº 31: César Dacorso Filho (1891-1966), também conhecido como Bispo Dacorso, foi um brasileiro Episcopal-Metodista; Caixeiro; Escriturário; Professor de Teologia; Líder; e Primeiro Bispo Metodista do Brasil. Também foi responsável pela autonomia da Igreja Metodista Brasileira e ajudou na fundação da Sociedade Bíblica do Brasil - SBB.
"Eu [Jesus] Sou a videira, e vocês são os ramos. Quem está unido Comigo e Eu com ele, esse dá muito fruto porque sem Mim vocês não podem fazer nada." (João 15:5, NTLH, SBB).
"Ora, vocês são o Corpo de Cristo, e cada um de vocês, individualmente, é membro desse corpo. Assim, na igreja, Deus estabeleceu primeiramente apóstolos; em segundo lugar, profetas; em terceiro lugar, mestres; depois os que realizam milagres, os que têm dons de curar, os que têm dom de prestar ajuda, os que têm dons de administração e os que falam diversas línguas. São todos apóstolos? São todos profetas? São todos mestres? Têm todos dons de curar? Falam todos em línguas? Todos interpretam? / Entretanto, busquem com dedicação os melhores dons. Passo agora a mostrar-lhes um caminho ainda mais excelente." (1ª Coríntios 12:27-31, NVI, SBI).
"Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três; porém o maior destes é o amor." (1ª Coríntios 13:13, VRA, SBB).

César Dacorso Filho
César Dacorso Filho.
(1891-1966)
César Dacorso Filho nasceu no dia 10 de Novembro de 1891, na cidade de Santa Maria, no Estado do Rio Grande do Sul, no Brasil. A cidade surgiu através de acampamentos para demarcação territorial entre os domínios dos espanhóis e portugueses. Durante a Revolução Farroupilha, também conhecida como Guerra dos Farrapos, chegaram os primeiros imigrantes alemães vindos da cidade de São Leopoldo-RS, para afastar os combatentes da revolução.

A cidade de Santa Maria é predominantemente Católica, no entanto, nas últimas décadas os Protestantes (Metodistas, Anglicanos, Luteranos e Batistas) obtiveram crescimento expressivo. Alguns ramos do Pentecostalismo também alcançaram projeções consideráveis.

A casa de sua família ficava próxima de um templo Luterano e do Colégio Complementar. Seu pai, Sr. César Dacorso, era italiano de procedência francesa, descendente dos Huguenotes que eram Calvinistas franceses. Os Huguenotes foram severamente perseguidos na França. Na noite de São Bartolomeu, milhares de franceses Calvinistas (Huguenotes) morreram massacrados pela tirania religiosa.

O seu pai não frequentou escolas, todavia, aprendeu muito com a leitura de livros, revistas e jornais. Conhecia alguns clássicos de autores de origem italiana, Torquato Tasso, Dante Alighieri e Ludovico Ariosto. Também lia autores modernos, por exemplo, Edmundo De Amicis. Era assinante de boas revistas, gostava de matemática e desenhos artísticos. Foi marinheiro e trabalhou em minas, dedicando-se posteriormente ao serviço de arquitetura. Fixou moradia no Rio Grande do Sul em 1875, na cidade de Santa Maria, adquirindo os hábitos locais, não dispensava o cavalo, o churrasco e o chimarrão. Contribuiu muito para o progresso da cidade, construindo a estação de trem, os quartéis, teatro e os principais prédios da localidade. Faleceu em 1931, vitimado pelo câncer de estômago e do fígado.

O Sr. Dacorso, pai de César, era Católico liberal, descontente com os padres e com o Catolicismo. Não frequentava as missas, não confessava, não comungava. Batizava os filhos, somente para cumprir os rituais e tradições religiosas. Não conhecia a bíblia e as missas eram em latim. Ganhou a sua primeira bíblia muitos anos depois, quando estava contatando os Protestantes. Adquiriu o hábito da leitura bíblica, deixou de trabalhar nos domingos para dedicar tempo aos cultos Metodistas e ao desfrute da Palavra de Deus. As mensagens da bíblia elevaram o seu padrão moral. Era honesto, trabalhador, educado, não consumia bebidas alcoólicas, não participava de jogatinas, não participava de conversas reprováveis para um cristão. Desenvolveu estreita amizade com o pastor responsável pelo templo Luterano próximo de sua casa.

A mãe de César descendia dos ilustres Pereira da Silva que chegaram a ocupar posições ministeriais durante o Brasil Império. A família Dacorso herdou traços genéticos dos franceses, italianos, austríacos, uruguaios e portugueses. A Sra. Dacorso era Católica com inclinações e participações no Espiritismo. Gostava muito da missa do galo e solicitava muitas missas aos parentes falecidos. Essas misturas de religião são comuns no Catolicismo brasileiro. Geralmente as pessoas respondem aos questionários que são Católicas, mas não frequentam o Catolicismo conforme a sua liturgia. Algumas pessoas são Católicas de nascimento, mas o viver não é Católico. Outras pessoas são assíduas do Espiritismo ou Kardecismo, Umbanda ou Quimbanda, Candomblé, Ocultismo, dentre outras religiões. São poucos os Católicos genuínos em terras brasileiras. A Sra. Dacorso, com idade avançada, conheceria um culto Protestante através do seu filho César, o Bispo Dacorso.

Os hábitos bonitos do povo sulista do Brasil, o churrasco e o chimarrão, foram interrompidos pela revolução que produziu carnificina no Estado do Rio Grande do Sul. Tal acontecimento marcou profundamente a vida do adolescente César. Relata que estava brincando com sua irmãzinha até que uma bala perdida atravessou o quintal de sua casa raspando em sua orelha e atingindo o barranco no fim do terreno.

Ouviu muitas histórias sobre as revoluções rio-grandenses e gostava das biografias dos participantes da revolução: Gumercindo Saraiva (1852-1894); João Nunes da Silva Tavares "Joca Tavares" (1818-1906); Luís Filipe de Saldanhada da Gama (1846-1895); David José Martins "David Canabarro" (1796-1867); Bento Gonçalves da Silva (1788-1847). Também ouviu muitas histórias sobre a Guerra do Paraguai e seus valentes: Manoel Luís Osório (1808-1879); José Antônio Correa da Câmara (1824-1893); dentre outros. Conheceu o militar (cabo) José Francisco Lacerda "Chico Diabo" (1848-1893) que ficou muito famoso, porque matou o ditador do Paraguai, Francisco Solano López (1827-1870).

Aprendeu sobre a visita do Imperador Dom Pedro II ao Rio Grande do Sul e sobre as missões e trabalhos que os Jesuítas realizaram ao longo das margens do rio Uruguai.

O menino César Dacorso foi acometido de sarampo, coqueluche e febre tifo. Durante o período escolar, pedia ao pai muitos livros para a leitura. Seus pais compraram alguns livros de poesia e algumas coleções, além dos livros escolares. O menino gostava de leitura e quando não tinha livros disponíveis, lia os jornais que sua mãe utiliza para forrações domésticas. Seu desejo era a leitura e assim era visto o pequeno César, lendo, lendo, lendo...

Ferro de Passar
Ferro de Passar antigo.
Seu pai cortava o seu cabelo e sua mãe costurava suas roupas, mas também ele ajudava os pais nos serviços domésticos, concertava as cercas, capinava o quintal e aprendeu a passar roupas com ferro antigo.

Na Igreja Episcopal [Igreja Anglicana] de sua cidade existia uma escola dominical sob responsabilidade do missionário americano, Rev. W. Morris. Movido por curiosidade, o jovem César começou a frequentar a escola dominical, porém foi impedido pelos seus pais de continuar a frequentar as aulas. Posteriormente, seus pais cogitaram a possibilidade de ingressar o jovem César Dacorso em um seminário Católico, considerando que frequentava assiduamente a missa e as procissões.

Em 1900, o reverendo J.W. Price alugou uma sala na rua do Comércio e a Igreja Metodista iniciou os trabalhos na cidade de Santa Maria. No ano de 1901, o pastor Antonio Fatrício Fraga veio auxiliar os trabalhos pastorais.

O pai de César e seus irmãos conheceram o local de reunião Metodista e começaram a frequentar os cultos. Foram recebidos com alegria e acolhimento pastoral. Gostavam das letras dos hinos e de suas melodias maravilhosas.

César Dacorso Filho
César Dacorso Filho.
(1891-1966)
César Dacorso Filho ganhou uma bíblia. Esse livro misterioso despertava o seu coração para conhecer a Deus. Suas leituras bíblicas eram recheadas de dedicação, cogitações e busca da Vida Eterna. Sabia que a bíblia era o alinhador das mensagens nos cultos Metodistas, assim convidou os seus irmãos e iniciou uma pequena congregação em um depósito de materiais de construção. Subiu em uma pilha de tábuas e daquele lugar anunciou os hinos, fez as orações e pregou o sermão.

Dacorso Filho foi caixeiro de secos e molhados e dormia no armazém, durante a madrugada já estava acordado principiando os trabalhos do dia. Nos períodos de folga, aproveitava a oportunidade para treinar a caligrafia.

No dia 1º de Julho de 1909, com 18 anos, foi nomeado escriturário do Serviço Central de Tráfego. Andava 8 quilômetros por dia para ir e voltar do trabalho. Suas caminhadas ao trabalho eram acompanhadas do inverno sulino, ventos, frio e lama no percurso, eram verdadeiros testes para a sua persistência. Contudo, estava contente, porque deixara de ser um simples caixeiro para iniciar uma jornada progressista em sua vida. Depois que voltava do trabalho, caminhava mais 6 quilômetros para prosseguir nos seus estudos. Gostava de ler e estudava muitos livros até o início da madrugada. Comprou vários livros sobre História, Gramática, Literatura e Romances. Quando findava o seu dia, já tinha percorrido a pé 14 quilômetros.

Em 15 de Janeiro de 1934, foi empossado no ministério como o primeiro bispo da Igreja Metodista do Brasil. Ficou responsável pela Igreja Metodista Central de Porto Alegre, no Estado do Rio Grande do Sul.

Realizou diversas viagens em todo o Brasil, ajudando várias igrejas Metodistas locais. Presidiu muitos concílios distritais, regionais e gerais. Foi membro e um dos fundadores da Sociedade Bíblica do Brasil - SBB e ajudou muito a Sociedade ocupando a Secretaria Regional em Porto Alegre-RS.

Exerceu o professorado no Instituto Metodista Granbery (Colégio e Faculdade). Durante o seu pastorado na Igreja Metodista Central de Juiz de Fora, recebeu o título Doctor Honoris Causa em solenidade pública realizada na Faculdade Granbery.

Bispo César Dacorso
César Dacorso Filho.
(1891-1966)
Na época do seu episcopado, a Igreja Metodista do Brasil enfrentava muitas dificuldades. Os recursos financeiros eram escassos, não eram comuns as sedes episcopais ou regionais. César Dacorso Filho era um bispo itinerante que seguia o lema Wesleyano "o mundo é a minha paróquia", assim ele estava sempre viajando, pastoreando o rebanho, e instruindo os pastores e leigos através de cartas.

Foram 74 anos dedicados ao serviço do Mestre Jesus em solo brasileiro. Serviu ao Senhor e aos crentes Metodistas do Brasil durante 43 anos. Foram 20 anos de serviços episcopais e 20 anos de serviços pastorais.

Faleceu em 1966, na cidade do Rio de Janeiro, no Brasil. Findou a carreira do menino brincalhão e curioso, terminou os dias do jovem desejoso de saber e apaixonado por livros. O sol deixou de brilhar para o caixeiro e escriturário. A jornada cessou para o bispo! Mas, César Dacorso Filho começou uma eternidade de desfrute d'Aquele que é o Pastor e Bispo das nossas almas - Jesus Cristo.


FONTE:

Igreja Metodista Vila Isabel http://www.metodistavilaisabel.org.br/artigosepublicacoes/descricaobiografias.asp?Numero=623.

Universidade Metodista de São Paulo http://www.metodista.br/ppc/caminhando/caminhando-16/cesar-dacorso-filho-o-consolidador-da-autonomia-do-metodismo-brasileiro.

César Dacorso Filho - O Príncipe da Igreja Metodista do Brasil http://pt.scribd.com/doc/23218680/Nelson-Carlos-De-Godoy-Costa-Cesar-Dacorso-Filho-Principe-da-Igreja-Metodista-do-Brasil.

Comunidade Wesleyana http://comunidadewesleyana.blogspot.com.br/2011/05/os-seminarios-teologicos-evangelicos.html.

Nenhum comentário:

Postar um comentário