LOCALIZAR

TRANSLATE

Carl Brockhaus

BIOGRAFIA CRISTÃ Nº 9: Carl Friedrich Wilhelm Brockhaus (1822-1899), também conhecido como Carl Brockhaus, foi um alemão Professor; Escritor; Editor; Tradutor; Mestre Dispensacionalista; e Líder Adenominacional reconhecido como uma das lideranças mais importantes do Movimento Irmãos Unidos na Alemanha, também conhecido como Irmãos de Plymouth, Assembleia dos Irmãos em Portugal, Casa de Oração no Brasil, ou simplesmente Os Irmãos.
"Eu [Jesus] Sou a videira, e vocês são os ramos. Quem está unido Comigo e Eu com ele, esse dá muito fruto porque sem Mim vocês não podem fazer nada." (João 15:5, NTLH, SBB).
"Ora, vocês são o Corpo de Cristo, e cada um de vocês, individualmente, é membro desse corpo. Assim, na igreja, Deus estabeleceu primeiramente apóstolos; em segundo lugar, profetas; em terceiro lugar, mestres; depois os que realizam milagres, os que têm dons de curar, os que têm dom de prestar ajuda, os que têm dons de administração e os que falam diversas línguas. São todos apóstolos? São todos profetas? São todos mestres? Têm todos dons de curar? Falam todos em línguas? Todos interpretam? / Entretanto, busquem com dedicação os melhores dons. Passo agora a mostrar-lhes um caminho ainda mais excelente." (1ª Coríntios 12:27-31, NVI, SBI).
"Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três; porém o maior destes é o amor." (1ª Coríntios 13:13, VRA, SBB).

Carl Brockhaus
Carl Brockhaus.
(1822-1899)
Depois que terminou o seu tempo escolar, frequentou o seminário de professores em Soest na Alemanha entre os anos de 1840 até 1842.

Carl foi um dos alunos preferidos dos professores do seminário devido ao seu caráter sério e estável, concluindo o seminário com honras especiais. Em 1843, começou a lecionar em Breckerfeld perto de Hagen.

Carl Brockhaus não encontrou imediatamente a paz com Deus, procurava servir ao Senhor, mas não encontrava forças para a execução do serviço cristão, permanecendo durante alguns anos na condição miserável descrita em Romanos, capítulo 7.

Em 1848 chegou à plena confiança na obra completa de Cristo através do estudo diligente da Epístola aos Romanos e da Primeira Epístola de João. No ano de 1853, escreveu sobre essa experiência na primeira edição da revista de sua responsabilidade "Botschafter in der Heimat" (Mensageiro do Lar), alterada posteriormente para "Botschafter des Heils in Christo" (Mensageiro da Salvação em Cristo). Nesses anos, com a devida licença dos pastores de Breckerfeld, começou a ministrar aulas bíblicas nos sítios da redondeza compartilhando com outros a Boa Nova do Evangelho. Desde então seu talento evangelístico começou florescer.

Elberfeld na Alemanha
Cartão Postal
Cidade de Elberfeld, Alemanha (1899).
Pouco tempo antes do seu casamento com a senhorita Emile Löwen, Carl Brockhaus tornou-se o principal professor da escola Am Neuenteich em Elberfeld. Durante o seu tempo livre, ele visitava as famílias dos seus alunos e falava aos pais sobre a salvação da alma deles.

No ano de 1848, a revolução estourou e em seguida da agitação e tumultos revolucionários, a cidade de Elberfeld foi vítima da cólera em 1849.


Revolução Alemã
Revolução Alemã.
REVOLUÇÕES DE 1848
PRIMAVERA DOS POVOS

Dá-se o nome de Revoluções de 1848 aos vários acontecimentos revolucionários na Europa central e oriental que eclodiram motivadas: pelos regimes governamentais autocráticos; pelas crises econômicas; pela falta de representatividade política das classes médias; e pelo nacionalismo despertado nas minorias da Europa central e oriental. Também é chamada de Primavera dos Povos o conjunto de revoluções com caráter: liberal; democrático; e nacionalista. Tais revoluções foram iniciadas por membros da burguesia e da nobreza que exigiam governos constitucionais, bem como por trabalhadores e camponeses que manifestaram rebelião contra os excessos e a difusão das práticas capitalistas.

Em 1849 considerando a fúria da revolução e os horrores da cólera, Carl Brockhaus fundou a "Associação para Educação" com a finalidade de receber e educar crianças negligenciadas.

O desejo do seu coração era e continuava sendo pregar livre e publicamente o evangelho. No ano de 1850, encontrou no jornal regional "Noticiário Diário" um anúncio de alguns cristãos da cidade vizinha de Vohwinkel, marcando uma reunião com vistas à promoção do evangelho. Tal anúncio e intenção era conforme seu gosto e vontade, assim com grande alegria foi para o encontro.

Convicto de ter sido chamado por Deus para esse ministério (Associação Evangélica de Irmãos), Carl Brockhaus desistiu de sua profissão de professor e se dedicou integralmente ao trabalho da associação.

Empregava todas as suas forças no trabalho da Associação Evangélica de Irmãos e para a obra missionária, fundou a revista oficial semanal da associação "Der Säemann für Mission in der Heimat und hausliche Erbauung" (O Semeador para Missão em Casa e para Edificação no Lar). Já naquele ano essa revista chegou a ter uma tiragem de 4.000 exemplares.

Durante esse tempo, ele se reuniria com alguns crentes verdadeiros para meditar na Palavra de Deus. O suíço Heinrich Thorens também frequentava essas reuniões. Ele tinha contato estreito com Julius Anton von Poseck e William Darby - um irmão de John Nelson Darby.

Heinrich Thorens chegou a conhecer as exposições das Escrituras escritas por J.N. Darby na Suíça francesa e compartilhou as mesmas exposições com Carl Brockhaus.

Carl Brockhaus
Carl Brockhaus.
(1822-1899)
Assim, Carl Brockhaus reconheceu aos poucos que não é conforme a vontade de Deus fundar associações e fixar estatutos segundo os quais mensageiros do evangelho são empregados por outros seres humanos, mas que esses devem ser chamados pelo próprio Senhor e que também devem satisfação unicamente a Ele. Também chegou a reconhecer que as igrejas estatais e outras comunidades religiosas, bem como as denominações são meramente instituições humanas.

Esta reflexão é importante, porque muitas pessoas confundem os prédios religiosos com a igreja nos termos bíblicos, também existem aqueles que, embora, tenham clareza que os prédios "templos" não são a igreja, fazem confusão acerca das instituições religiosas, afirmando que tais instituições são a igreja, no entanto, hoje graças ao movimento dos Irmãos Unidos, mesmo nós que nos reunimos em grupos denominacionais fomos iluminados sobre esse assunto. Hoje, muitos crentes que frequentam denominações estão cientes de que a igreja não se confunde com prédios, templos, associações, instituições, denominações, movimentos ou qualquer outra terminologia, mas a igreja é o resultado da nossa união com Cristo através do novo nascimento. Jesus Cristo é o Cabeça e os Seus regenerados são o Seu Corpo configurando um Novo Homem Coletivo - A Noiva de Cristo. Nota do Blog.

Carl Brockhaus não anunciava mais somente o evangelho puro da graça, mas também a posição perfeita do crente em Cristo diante de Deus e a necessidade de separação dos incrédulos. Claro que isso não passou desapercebido da direção da Associação Evangélica de Irmãos. O diretor intimou-o ou a renunciar suas ideias ou a desligar-se da associação. Depois de ter rogado seriamente ao Senhor por direção e clareza durante um intervalo do debate de várias horas, declarou que não podia desviar-se da verdade da Palavra de Deus e por isso desligou-se da associação.

Na dependência do Senhor começou, então, a pregar por todos os lados. Nessa época sofreu resistência e oposição da Igreja de Estatal. Em muitos lugares crentes verdadeiros deixaram a igreja estabelecida e formaram congregações que se reuniam separadas de todas as instituições clericais e de partidos religiosos para celebrar a Ceia do Senhor, estudar a Palavra de Deus e para orar.

Naqueles dias, ainda não existia liberdade para as reuniões. Por causa disso, Carl Brockhaus chegou a passar por duas vezes vários dias na prisão, uma vez em Dillenburg, outra vez em Herborn no ano de 1853.

Já na primeira metade do ano de 1853, entrou em contato pessoal com John Nelson Darby, de quem já ouvira muito por meio de Heinrich Thorens e dos Irmãos Unidos em Düsseldorf. A primeira carta de J.N. Darby dirigida a ele data do dia 02/05/1853. A primeira visita de John N. Darby para a cidade de Elberfeld aconteceu provavelmente no final do ano de 1853 ou no início de 1854. Depois Carl Brockhaus foi visitar J.N. Darby em 1855, na Inglaterra, para dentre outras coisas fazer aulas de inglês.

Carl Brockhaus, juntamente com J.N. Darby e Julius Anton von Poseck, traduziram o Novo Testamento do grego para o alemão.

A partir do ano de 1853, Carl Brockhaus estava amplamente envolvido com a obra, viajando para pregar o evangelho e visitando as igrejas que surgiram, bem como para instrução dos salvos. A obra se espalhava cada vez mais, além das regiões de Renânia e Vestefália na Alemanha, alcançou também Hesse, Baden, Vurtemberga, Alsácia, Bavária, bem como a Saxônia, Brandenburgo e Frísia Oriental. Muitas vezes estava na Silésia. Foi também muitas vezes aos Países Baixos e à Suíça.

Quando estava em sua residência, não ficava inerte e passivo, pelo contrário, era muito ativo. Laborou na edição de revistas, artigos, folhetos evangelísticos, livretos e livros para edificação e exposição da Palavra de Deus.

Através dos seus escritos, muitas preciosas verdades da Bíblia como a justificação pela fé, a perfeição da obra redentora de Cristo, a unidade dos crentes verdadeiros, a esperança da volta do Senhor para o arrebatamento de Sua Igreja, entre outras, ficaram acessíveis para muitos salvos.

Brincadeira de Criança
Ilustração de crianças brincando.
Era um grande amigo das crianças. O seu amor às crianças o motivou para editar uma revista infantil intitulada "Für die lieben Kleinen" (Para os Queridos Pequenos). Mais tarde, nasceu a revista evangelística "Samenkörner" (Sementes).

Também colaborou com Julius Anton von Poseck na elaboração de um hinário para salvos. Em 1908 o Hinário contava com 147 hinos. Carl Brockhaus foi autor de 55 hinos. O Tenente General von Viebahn disse acerca do Hinário: "Conheço e amo muitos outros hinos espirituais e os uso em minha casa; mas não conheço outro hinário que estivesse tanto em concordância com a Palavra de Deus em cada linha e que expressasse de igual forma a adoração dos salvos".

Elberfelder Bibelübersetzung
Elberfelder Bibelübersetzung.
(Bíblia de Elberfeld)
Uma obra bastante especial de Carl Brockhaus é a edição da hoje amplamente divulgada tradução da Bíblia apelidade de "Elberfelder Bibelübersetzung". Foi a primeira completa e literal tradução da Palavra de Deus para o povo alemão conforme posição atual da crítica textual.

Até hoje, a Bíblia de Elberfeld é conhecida e elogiada pelo fato de reproduzir o texto nos idiomas originais de uma maneira bastante fiel às palavras gregas e hebraicas. Essa importante obra estava no coração de Carl Brockhaus.

O Velho Testamento, desde os dias de Lutero, nunca foi traduzido melhor ao alemão do que na sua edição da Bíblia, e a benção trazida pela Bíblia de Elberfeld dificilmente poderá ser estimada.

Bíblia de Elberfeld
Bíblia de Elberfeld
Durante mais de 40 anos Carl Brockhaus estava ativo. Agora, finalmente, a sua idade avançada não lhe permitiria fazer as suas frequentes viagens. As suas forças diminuíram, o vaso humano estava envelhecido. Os últimos anos de sua vida o prenderam cada vez mais em sua casa e lhe trouxeram diversos desconfortos.

Foram muitas as noites que passou sentado em sua poltrona, porque o estado de seus nervos e de seu coração não lhe permitiam mais deitar. Mesmo assim, era possível vê-lo andando a pé pelas ladeiras do montanhoso vale do rio Wupper, embora fosse uma atividade exaustiva, mas o esforço trazia alegrias para esse homem de Deus, pois o objetivo desse esforço era levar alimento espiritual para as almas que estavam em seu coração, pastoreá-las e nutri-las.

No dia 9 de maio de 1899, na idade de 77 anos, depois de um breve leito de enfermidade, foi ao lar em paz, para estar para sempre com o Senhor Jesus, a Quem serviu aqui com grande felicidade e devoção. Para o seu enterro vieram centenas de pessoas, irmãos de perto e de longe.

O seu amigo Hermanus Cornelis Voorhoeve fez o pequeno discurso e disse:

... O nosso falecido irmão não era somente um pastor, mas também era um mestre. Quem teve o privilégio de estar presente nas maravilhosas conferências durante tantos anos está profundamente impressionado com isso. Como explicava a Palavra divina de uma maneira clara e explícita, quão emocionante e prático! E muitos de nós ouviram-no - alguns ainda no penúltimo domingo nesse salão - explicar e anunciar as Palavras do Senhor. E um evangelista - sim isso também era, e o era de uma maneira especial... Deus, portanto, nos deu muito, muito nesse irmão. Porém, nós não vimos aqui para elogiar a homens. Não, toda a honra, toda a glória pertence somente ao Senhor. Ele é Quem dá os dons. Ele é Quem envia os Seus servos. Ele é Quem concede a força e Ele é Quem envia as Suas bençãos. Dele é que tudo procede. Ele nos deu Carl Brockhaus, e o deu durante tantos anos, por quase meio século. Assim, com gratidão, dizemos: O Senhor deu! Mas agora temos que acrescentar: O Senhor tomou!... Ele sabe o que faz, e por isso falamos juntamente com Jó: Bendito seja o nome do Senhor!...


FONTE:

Livro: "Os Irmãos" (Como são chamados) - Sua história e as verdades que professam.
Autor: Andrew Miller.
Editora: Depósito de Literatura Cristã - DLC. (Brasil).
Páginas: 175.

Wikipédia, a enciclopédia livre.

http://www.johndarby.org/.

http://www.plymouthbrethren.org/.

Nenhum comentário:

Postar um comentário